Article
Laboratory Testing

Alergênicos: problemas e soluções ao consumidor

A Alergia de alimentos ou hipersensibilidade alimentar é uma resposta anormal do sistema imunológico para certos componentes alimentares podendo ter uma variação clínica muito abrangente sendo segmentada entre reações Tóxicas  e Atóxicas. Atualmente, não há estatísticas oficiais, porém estima-se que a alergia alimentar corresponde cerca de 90% das alergias mundiais considerando a alta diversidade conforme as diferenças populacionais. Um estudo recente, mostrou que a maioria da população possui alergia clinicamente comprovada a qualquer alimento correspondendo a  1-5% da população total. Há uma incidência maior de alergia alimentar em crianças do que em adultos, representando cerca de 8%, comumente observada para leite e ovo.

A Kids With Food Allergies (KFA) – Crianças com Alergias de Alimentos – uma divisão da Fundação Americana de Asma e Alergia (AAFA), estima que uma em cada 13 crianças tem alergia de alimentos. (Fonte: http://www.asbai.org.br)

Reações de hipersensibilidade imediata foram observadas com mais de 170 alimentos diferentes Basicamente, qualquer alimento que contenha proteínas tem o potencial de provocar sensibilização alérgica em alguns indivíduos. As reações envolvidas em hipersensibilidades imediatas podem às vezes ser bastante severas.

O maior desafio para estas pessoas é ter a certeza de que os produtos que vão consumir não possuem alérgenos ou traços provenientes, mas a rotulagem completa dos produtos à venda nos supermercados nem sempre ajudam.

O que é alergênico?

Alergênico é um produto ou ingrediente que contém um determinado composto (alérgeno), capaz de causar reações graves em pessoas susceptíveis imunologicamente, sendo a parte de proteínas é responsável por ocasionar a alergia.

Atualmente, de acordo com as diretrizes específicas, os alimentos que mais causam alergias são:

  • Trigo, centeio, cevada, aveia;
  • Crustáceos;
  • Ovos;
  • Peixes;
  • Amendoim;
  • Soja;
  • Leite de todas as espécies de animais mamíferos;
  • Amêndoas;
  • Avelãs;
  • Castanha de Caju;
  • Castanha do Brasil ou Castanha do Pará;
  • Macadâmias;
  • Nozes;
  • Pecãs;
  • Pistaches;
  • Pinoli;
  • Látex natural.

Segundo o Departamento Científico de Alergia de Alimentos da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI), apesar das linhas de pesquisa atuais, o único tratamento realmente efetivo até o momento é a restrição completa das proteínas alergênicas.

Alergênicos – foto com chamada

Mas, como garantir que um alimento está totalmente livre de alérgenos?

Para proteger os consumidores, produtores de alimentos são obrigadas por lei a divulgar nos rótulos dos produtos se um alérgeno principal é usado durante o processo de produção. No entanto, para conseguir isto, os alérgenos devem primeiro ser detectados a partir dos alimentos.

As análises do Laboratório da FoodChain ID conseguem identificar todos os alérgenos, exceto o látex.

Por meio de testes que mesclam as técnicas de ELISA, Real Time PCR e Cromatografia detecta-se a quantidade presente de alergênicos alimentares presentes como glúten, leite, soja, mostarda, aipo, ovos, castanhas, peixes, entre outros.

Esses testes são utilizados principalmente para controle de qualidade do processo de industrialização, evitando contaminações cruzadas e recalls dos produtos.

As análises ajudam as empresas a monitorar a qualidade do processo de industrialização, validação de processos de limpeza, verificar se a empresa rotula corretamente e se está de acordo com as legislações vigentes do país de origem e/ou do destino (em caso de exportação).

Hoje, mais do que nunca, a qualidade e segurança de alimentos são preocupações constantes para os consumidores e autoridades públicas.

Cresce a cada dia o número de consumidores que exige garantia de que sua alimentação é derivada de recursos sustentáveis, com impacto limitado sobre o ambiente e as populações locais, enfim, que haja comprometimento com a sustentabilidade ambiental.

No entanto, controlar e gerir os riscos associados tornou-se extremamente difícil, devido às cadeias de fornecimento complexas, espalhadas por todo o planeta e com distribuição em escala global. Porém, vencer esses desafios é fundamental para manter a competividade, proteger sua reputação e melhorar a imagem da sua marca.

Mantenha-se atualizado com nosso boletim informativo

Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Artigos interessantes

Article
Food Safety

A Importância da Análise de OGMs para a Segurança dos Alimentos

Article
Laboratory Testing

Proteja Seus Consumidores: Teste Seu Produto para Glúten com Precisão e Segurança

Article
Laboratory Testing

Descobrindo os Segredos dos Alimentos: Uma Jornada através da Análise de Contaminantes com a FoodChain ID

Article
Laboratory Testing

Análises de Contaminantes: Garantindo Segurança dos Alimentos com a FoodChain ID

Article
Laboratory Testing

Análises de OGM: Garantindo Segurança e Qualidade com a FoodChain ID

Article
Laboratory Testing

Análises de pesticidas em produtos cárneos em tempo recorde